PLUS CRUISING


Et tu savais que tout entier je ne suis rien, qu’il me faut être au moins deux, et c’est déjà peu et trop peu, et j’ai trop peur, ça m’a jamais suffi d’être aimé et d’être gentil, j’ai des besoins de faire entrer en moi des villes, de replier, en moi, toutes les immensités, goûter et regoûter, encore, à tout ce que le monde a de perlé, et mort, et mordre. Et donner.
Extrait de “Cusset”, La Campagne, Marguerin Le Louvier

PLUScruising* é uma plataforma de pesquisa, de fricção, de relação e de criação que tem como objetivo criar espaços porosos à arte, ao desejo, à política e às celebrações, acessíveis a todxs.

A plataforma constitui-se em um terreno baldio onde se pode explorar as colisões e a queda, a ansiedade e o desejo, o corpo e o contato, o intersticial e o transbordar. Trata-se de um espaço de negociação, coabitação e afirmação para as existências em suas singularidades e estéticas. Ela convida à regeneração de nossos corpos e nossas subjetividades, a explorar as possibilidades do encontro por meio da experimentação, da itinerância, do deslocamento e da presença.

PLUScruising acompanha criações com quais cria arquivo vivo, propõe tempos de encontro, leituras, mesas redondas, ateliês e formas híbridas.

. . .

*O cruiser é um explorador cujos sentidos estão em pleno despertar, sensíveis ao menor sussurro, ao menor sopro. O cruising é uma atividade primitiva, no sentido de que se constitui como atividade inicial, originária, primeva, que mergulha seus exploradores numa outra dimensão, fora do tempo da cidade e da razão prática.

Em francês: paquerar / “marauder” → ligada na caça, na predação, na busca de uma presa desconhecida (escondida no fundo da água)  “paquerar a cidade” → percorrer a cidade na busca de algo a trazer.

Em inglês: to cruise / cruzar → “Flâner”. Tipo de experiência mais que de prática, indissociável da caminhada e do olhar.

+++++

FACT. FESTIVAL ART ET CRÉATIONS TRANS

O Festival de Arte e Criações Trans é um dos projetos do programa PLUScruising. É um festival internacional, pluridisciplinar e para o grande público, que visa a dar visibilidade e a promover a criação artística de pessoas trans.

O Festival nasceu de uma vontade coletiva de refletir sobre o posicionamento das pessoas trans como sujeitos do seus discursos e a contribuição de olhares, pensamentos e práticas localizadas nos campos das artes e da cultura, colocando artistas trans no centro da programação e da organização. Pensado como um festival para todes, a proposta foi, desde sua primeira edição em 2019, apresentar uma programação de 10 dias de performances, teatro, cinema, shows, leituras, arte de rua e momentos ligados ao intercâmbio e à criação coletiva como oficinas, conferências, cena aberta etc., convidando mais de 50 artistas locais, regionais e transnacionais.

O projeto é conduzido pela plataforma PLUS e o laboratório de pesquisa “Labo TPG” da ENS – Escola Nacional Superior de Lyon (FR). Ele é inspirado na Semana de Arte Trans, um festival organizado pela cidade de Montevidéu (UY), cujo objetivo é tornar visíveis pessoas trans e travestis, assim como mostrar os olhares não heteronormativos sobre eles a partir de uma nova perspectiva: como sujeito de direito à cultura.

O Festival de Arte e Criações Trans foi criado numa dinâmica de intercâmbios regionais e internacionais, porque acreditamos que se torna crucial desviar nossos olhares do lugar tradicional ou comum a fim de entender melhor a complexidade das questões levantadas pelas identidades transgêneros e questionar as construções hegemônicas na cultura, assim como criar espaços para novas narrativas. Essa multiplicidade de visões e abordagens das questões transgêneros não apenas promove a circulação do conhecimento em diferentes esferas culturais e artísticas, mas também as estende às noções mais amplas de identidades e normas.